POEMA -PAULO HENRIQUES BRITTO

O hábito de estar aqui agora
aos poucos substitui a compulsão
de ser o tempo todo alguém ou algo.

Um belo dia(por algum motivo
é sempre dia claro nesses casos)
você abre a janela,ou abre um pote

de pêssegos em calda,ou mesmo um livro
que nunca há de ser lido até o fim
e então a idéia irrompe,clara e nítida:

É necessário?Não.Será possível?
De modo algum.Ao menos dá prazer?
Será prazer essa exigência cega

a latejar na mente o tempo todo?
Então por quê?
E neste exato instante
você por fim entende,e refastela-se

a valer nessa poltrona,a mais cômoda
da casa,e pensa sem rancor:
Perdi o dia,mas ganhei o mundo.

(Mesmo que seja por trinta segundos)

2 comentários:

nina

27 de março de 2009 10:29
Permalink this comment

1

disse...

Olá, obrigado pelo comentário.
Não conheço muitos poetas brasileiros e... este confesso que não conhecia. Gostei! Escrita simples, fluída e com sentido. Gostei do seu blog e virei aqui (concerteza) mais vezes. Um Abraço

1

disse...

muito obrigado,Nina.