Seria cômico se não fosse trágico.





Imagens daqui e daqui

9 comentários:

Vanessa

19 de outubro de 2009 11:32
Permalink this comment

1

disse...

Muito trágico mesmo, James. E parece não haver saida.

bjs

Carla Martins

19 de outubro de 2009 11:43
Permalink this comment

1

disse...

Triste.....mas pura dose de realidade. :(

Andreia

19 de outubro de 2009 13:19
Permalink this comment

1

disse...

James querido,
infelismente esta nossa dura e triste realidade não sequer uma previsão de que vai acabar ou melhorar.
Eu estou muito triste.
Doce beijo para ti...

Cris Caetano

19 de outubro de 2009 13:30
Permalink this comment

1

disse...

Hiper realista... e vivemos no Rio, dias difíceis de confronto entre polícias e traficantes, triste...

Beijinhos

Paulo Braccini

19 de outubro de 2009 14:26
Permalink this comment

1

disse...

parabéns pela denúncia ...

amo estar aqui amigo

bjux

;-)

Elaine dos Santos

19 de outubro de 2009 17:12
Permalink this comment

1

disse...

Oi, James! Engraçado, qdo vi a primeira gravura, de imediato, veio à mente a foto, publicada ontem no Jornal Zero Hora, em que aparecem, em imagem não muito bem definida, o irmão e a cunhada de Celso Daniel que moram em Paris, na condição de refugiados. Sinceramente, já não sei mais o que é trágico, o que é cômico, o que é dramático, mas sei que há um imenso mal-estar e que as coisas tendem a piorar cada vez mais (não se assuste, estou lendo considerações teóricas sobre a literatura finissecular francesa e talvez esteja tomada pelo espírito da Decadência...se bem que, pensando com mais calma, decadência é o que nós vivemos, em todos os aspectos, né?)

Valdeir Almeida

19 de outubro de 2009 21:33
Permalink this comment

1

disse...

O autor da tira tem razão. E você tem razão ao dizer que seria cômico se não fosse trágico.

Só faltou aí a quadrilha dos falsos Sem-Terra.

Abraços, James.

Mauri Boffil

20 de outubro de 2009 14:17
Permalink this comment

1

disse...

Não sei se choro de tristeza ou se rio de desespero louco...

1

disse...

Amigo, é tanta demência,
Tanta gente bruta, brusca...
Confesso: há muito ando em busca
Da Saída de Emergência...