COGITO-TORQUATO NETO(1944-1972)


eu sou como eu sou

pronome

pessoal intransferível

do homem que iniciei

na medida do impossível


eu sou como eu sou

agora

sem grandes segredos dantes

sem novos secretos dentes

nesta hora


eu sou como eu sou

presente

desferrolhado indecente

feito um pedaço de mim


eu sou como eu sou

vidente

e vivo tranquilamente

todas as horas do fim


2 comentários:

1

disse...

Muito obrigado pelos seus comentários. Agradeço também a fazer dsiposición este blog para aprender mais sobre a literatura brasileira. SALUDOS. Lizbeth Quijandria

1

disse...

muito bom gostei!
Abraço Ademar!!