Leitura Coletiva-"A Viagem do Elefante"(José Saramago)

José Saramago(1922-2010),é um típico caso do escritor que,embora considerado pela crítica um dos grandes do século que passou,embora tenha merecidamente recebido o Prêmio Nobel(ao contrário de alguns mais que questionáveis ganhadores),é um ficcionista que está sempre na lista dos considerados 'difíceis'.Essa lista não é de maneira alguma pequena:Guimarães Rosa,Clarice,especificamente seus romances),Hermann Broch,Kafka,Sartre,entre outros,para só falar dos grandes.
Os romances de Saramago,muito mais que difíceis,exigem uma entrega total do leitor a seu estilo,ao seu manejo virtuoso de uma língua portuguesa raras vezes tão vibrante de vida das palavras e expressões,tão sonora,tão admiravelmente moldada.Os textos de Saramago sempre formam um bloco compacto onde a língua é a própria vida do texto.
"A Viagem do Elefante" não é diferente.Até,ao contrário,aqui,o português de Saramago nunca foi mais saboroso,a forma com que maneja suas frases é de uma impressionante lucidez,não se deixando levar pelo rastejar fácil dos vocábulos,sempre manejando seu idioma como mestre.
A viagem do elefante Salomão em 1551/52 ,de Lisboa a Viena,é contada como uma espécie de apólogo da vida humana e  suas vicissitudes,seus altos e baixos,suas surpresas,boas e más,sua alegria e sua tristeza.
Presente do Rei Dom João III de Portugal ao imperador Maximiliano da Áustria,o elefante,seu tratador indiano Subrho e sua comitiva atravessam uma Europa muitíssimo diferente da que conhecemos,uma terra de sofrimento e misérias,mas também de alegria e prazer.A viagem do elefante,com seus acontecimentos tristes,reais,até atrozes,é também a viagem dos seres humanos por esse planeta,que bem ou mau,é nossa única casa.E Saramago sabe trabalhar sua narrativa com drama e humor(porque não?),dando ao texto uma densidade invejável ,profunda,com pausas que são dadas pelo próprio texto,que é lido com prazer constante,dada a maestria do escritor e seu domínio da narração e da palavra.
Fabuloso romance de um escritor que polêmicas à parte é um dos maiores do século XX,não só nas literaturas de língua portuguesa,mas também na literatura mundial.Perfeito mestre da palavra,Saramago na "Viagem do Elefante" nos lembra "(...)porque a vida ri-se das previsões e põe palavras onde imaginámos silêncio,e súbitos regressos quando pensámos que não voltaríamos a encontrar-nos.".
Um romance para ser lido com o coração aberto,saboreando uma obra prima real da nossa bela língua portuguesa.

Esse texto faz parte da Leitura Coletiva-José Saramago,em parceria com o  Fio de Ariadne .

7 comentários:

Paulo Braccini

26 de julho de 2010 16:00
Permalink this comment

1

disse...

magnífica a resenha ... vou ler também ... ainda não havia lido Saramago e gostei muito ...

bjux

;-)

FOXX

26 de julho de 2010 16:42
Permalink this comment

1

disse...

boa definição de saramago...
nada saboroso!

Vanessa

26 de julho de 2010 17:47
Permalink this comment

1

disse...

James, então eu dei sorte mesmo, peguei o texto saboroso :-). Obrigada pela parceria.

bjs

Tucha

26 de julho de 2010 20:01
Permalink this comment

1

disse...

Os escritores difíceis nos desafiam e nos fazer saborear além o enredo as palavras que o constroem, uma arte.
Estou tb na leitura coletiva, como o Ensaio sobre a cegueira.

Tucha

26 de julho de 2010 20:01
Permalink this comment

1

disse...

Faltou dizer que a sua resenha está tb saborosa.

1

disse...

James,

Gostei muito de ler A Viagem do Elefante, é umlivro que me surpreendeu como poucos. Como disse a Vanessa, também perdi a birra com Saramago.

Parabéns pela iniciativa e pela resenha.

Grande abraço.

Cris Caetano

27 de julho de 2010 22:20
Permalink this comment

1

disse...

Amei a resenha... este ainda não li e lerei certamente. :)

Beijos, querido