Poesia-"Traduzir-se" de Ferreira Gullar

Uma parte de mim é todo mundo
Outra parte é ninguém,fundo sem fundo
Uma parte de mim é multidão
Outra parte estranheza e solidão
Uma parte de mim pesa,pondera
Outra parte delira
Uma parte de mim almoça e janta
Outra parte se espanta
Uma parte de mim é permanente
Outra parte se sabe de repente
Uma parte de mim é só vertigem
Outra parte linguagem
Traduzir uma parte na outra parte
Que é uma questão de vida e morte
Será arte?

5 comentários:

Paulo Braccini

3 de setembro de 2010 11:58
Permalink this comment

1

disse...

a construção do SER é uma arte ... FATO!

grande similaridade nos sentimentos de Ferreira Gullar e Drummond ... acho!

bjux

;-)

Ana

3 de setembro de 2010 15:40
Permalink this comment

1

disse...

Adoro essa poesia!
Eu tenho ela escrita em uma camisa autografada por ele quando a escola o trouxe para uma palestra. Isso tem uns 20 anos.
Desde então passei admira-lo mais ainda. :)
Bom fim de semana!
Beijos!

Rodrigo Brower

4 de setembro de 2010 22:19
Permalink this comment

1

disse...

Um reflexão sempre tão atual! ^^

Ana

6 de setembro de 2010 15:58
Permalink this comment

1

disse...

Querido tem um selo para vc lá no Balde :)
Beijos

Cris Caetano

6 de setembro de 2010 20:12
Permalink this comment

1

disse...

O que dizer? Amo!

Beijos, querido