Livros-Memórias de Adriano-de Marguerite Yourcenar

Memórias de Adriano(1951) foi o romance que projetou Marguerite Yourcenar (1903-1987) internacionalmente,e fez que o mundo conhecer uma grande escritora.
Memórias de Adriano é a história romanceada do imperador romano Adriano(76-138 d.c.) na forma de longas cartas a seu sucessor Marco Aurélio.Essas cartas são divididas em:Animula Vagula Blandula(Pequena alma terna flutuante),Varius multiplex multiformis(vário multiplo multiforme),Saeculum aureum(século dourado),Disciplina Augusta e Patientia(paciência).
Em cada uma das diferentes epístolas,Adriano reconta uma parte de sua vida,desde seu nascimento na Espanha,sua infância solitária,sua juventude em Roma e depois sua ascensão ao poder e sua vida como imperador romano.
Obra prima da literatura,o romance é uma longa divagação sobre a vida,o amor,a sociedade,o poder.
O Adriano de Yourcenar,um imperador romano com poder absoluto se coloca como um ser humano muitas vezes frágil e amedrontado frente às armadilhas do destino,as ironias da sorte.
Yourcenar dá grande destaque ao romance entre Adriano e o jovem grego Antínoo-ela achava que a história desse relacionamento era a chave para entender a personalidade de Adriano.A parte que narra o romance-Saeculum Aureum-é a melhor do livro.A meditação do imperador sobre o amor é impressionante,mostrando como tudo muda,menos a verdade essencial da vida.
Marguerite Yourcenar recria todo um tempo em que em suas próprias palavras:"O deuses estando mortos e ainda não existindo o cristianismo,houve um breve momento em que só existiu o homem".
Um dos grandes romances do século XX,amado e sempre relido por seus fiéis admiradores.
Trechos:
"Nosso grande erro é tentar encontrar em cada um ,em particular,as virtudes que ele não tem,negligenciando o cultivo daquelas que ele não tem"
"Fui amado por alguns;estes me deram muito mais do que eu tinha direito de exigir ou mesmo de esperar deles:algumas vezes sua vida;outras sua morte."
"Foi dessa maneira,com uma mistura de prudência e audácia,de submissão e revolta cuidadosamente calculadas,de extrema exigência e prudentes concessões,que acabei finalmente por aceitar-me a mim mesmo."
"A moral é uma convenção privada:a decência,um assunto público;toda permissividade muito visível sempre me pareceu uma exibição de mau gosto."
"Quando tivermos reduzido o máximo possível as servidões inúteis,evitado as desgraças desnecessárias,restará sempre,para manter viva as virtudes heróicas do homem,a longa série de males verdadeiros:a morte,a velhice,as doenças incuráveis,o amor não partilhado,a amizade rejeitada ou traída,a mediocridade de uma vida menos vasta do que nossos projetos e mais enevoadas que nossos sonhos.Enfim,todas as desventuras causadas pela divina natureza das coisas."
"Tudo se desmoronava;tudo parecia extinguir-se.O Zeus Olímpico,o Senhor de Tudo,o Salvador do Mundo aluíram;de repente,existiu apenas um homem de cabelos grisalhos soluçando no convés de um barco."(ao saber da morte de Antínoo)
"Não sabia ainda que a dor contém em si estranhos labirintos,(...)"
"Tentei ir em pensamento até essa revolução pela qual todos nós passaremos,o coração que renuncia,o cérebro que se submete,os pulmões que cessam de aspirar a vida.Passarei por uma convulsão análoga;morrerei num dia.Mas cada agonia é diferente."

6 comentários:

Paulo Braccini

5 de outubro de 2010 12:02
Permalink this comment

1

disse...

Uma das minhas obras preferidas ...

bjux

;-)

Angélica Roz

5 de outubro de 2010 12:07
Permalink this comment

1

disse...

Parece ser muito bom esse livro! Não conhecia.
No meu blog está rolando uma promoção bem legal, o prêmio é um Vale Livro no valor de R$ 350,00. Depois passa lá para participar...
Abraços

FOXX

5 de outubro de 2010 12:45
Permalink this comment

1

disse...

uia
tenho q ler
logo eu q adoro romance histórico

Serginho Tavares

5 de outubro de 2010 15:28
Permalink this comment

1

disse...

SOBERBO!

Pandora

5 de outubro de 2010 21:52
Permalink this comment

1

disse...

Sou apaixonada por esse livro e pela autora... Lindissimo mesmo, até hoje tenho como verdade que "A moral é uma convenção privada:a decência,um assunto público."

É o tipo de livro que deixa uma marca em quem ler, que além de te contar uma história, muda sua história em algum aspecto!!! Muito lindo... Até hoje não sei se pronuncio Yourcenar de forma correta, mas que ela é uma de minhas autoras favoritas!!!

Luciano A.Santos

6 de outubro de 2010 08:45
Permalink this comment

1

disse...

Estou com este livro em casa, mas no momento estou lendo Um Conto de Duas Cidades, de Dickens, e estou motivado a ler Incidente em Antares, de Veríssimo. Mesmo assim, finalmente, lerei Yourcenar neste ano.

Abraços.