La Mamma Morta -Maria Callas(da ópera Andrea Chenier de Umberto Giordano)



La mamma morta m'hanno
alla porta della stanza mia;
Moriva e mi salvava!
poi a notte alta
io con Bersi errava,
quando ad un tratto
un livido bagliore guizza
e rischiara innanzi a' passi miei
la cupa via!
Guardo!
Bruciava il loco di mia culla!
Cosi fui sola!
E intorno il nulla!
Fame e miseria!
Il bisogno, il periglio!
Caddi malata,
e Bersi, buona e pura,
di sua bellezza ha fatto un mercato,
un contratto per me!
Porto sventura a chi bene mi vuole!
Fu in quel dolore
che a me venne l'amor!
Voce piena d'armonia e dice:
"Vivi ancora! Io son la vita!
Ne' miei occhi e il tuo cielo!
Tu non sei sola!
Le lacrime tue io le raccolgo!
Io sto sul tuo cammino e ti sorreggo!
Sorridi e spera! Io son l'amore!
Tutto intorno e sangue e fango?
Io son divino! Io son l'oblio!
Io sono il dio che sovra il mondo
scendo da l'empireo, fa della terra
un ciel! Ah!
Io son l'amore, io son l'amor, l'amor"
E l'angelo si accosta, bacia,
e vi bacia la morte!
Corpo di moribonda e il corpo mio.
Prendilo dunque.
Io son gia morta cosa!

Essa ária da ópera Andrea Chenier,popularizada no ótimo filme Filadélfia,mostra Maria Callas(1923-1977)no auge de sua extraordinária potência vocal.Mais do que uma soprano,Maria Callas é sem dúvida,a maior cantora lírica de todos os tempos,cujas interpretações levavam seus fãs ao delírio(como na apresentação de Tosca no Covent Garden em 1954,em que foi aplaudida 23 vezes em cena e no final teve uma ovação  de 25 minutos).Callas aliou ao canto lírico seus dons de representação assim como a técnica vocal impecável e o absoluto domínio do palco.Foi (e é)sua voz que porém ,faz com que milhões de pessoas a venerem em todo o mundo e leve a afirmações entusiastas como a de Paulo Francis-"Deve ser o que Ulisses ouviu,amarrado ao mastro,quando as sereias cantaram.É o que me lembra a voz de Callas no seu apogeu"(Waal-O Diário da corte de Paulo Francis-pag. 41).Uma voz que hoje talvez seja impossível de surgir uma igual ou parecida para nos emocionar no fundo do coração e da alma.


15 comentários:

Paulo Braccini

21 de setembro de 2009 11:33
Permalink this comment

1

disse...

Callas é simplesmente fantástica ... La Mamma Morta de Giordano tão fantástica qto ... parabéns pela escolha e pela indicação ... como sempre ...

bjux

;-)

Cris Caetano

21 de setembro de 2009 11:42
Permalink this comment

1

disse...

James, além do dom, acredito que a sensibilidade em alguns seres humanos dão o "plus" que os diferenciam dos demais. Callas era uma mulher de grandes paixões e isso faz toda a diferença na interpretação de um texto ou de uma música.

Beijinhos

Luciane

21 de setembro de 2009 15:47
Permalink this comment

1

disse...

Essa ária é simplesmente indescritível. Para ouvir e se emocionar de tão bela. Que boa lembrança!

Fabiano

21 de setembro de 2009 17:40
Permalink this comment

1

disse...

Poisé, James...essa daí eu não conhcia....vou baixar...viu,,de vez em quando eu passo aqui....
so long...

Mylla Galvão

21 de setembro de 2009 21:07
Permalink this comment

1

disse...

Oi James,
Estou passando aqui para te convidar para a minha Blogagem Coletiva em comemoração dos 6 meses do Ideias de Milene...
As Incrições já estão abertas...
Passa lá para ver como participar!!!
bjs

@philipsouza

22 de setembro de 2009 00:39
Permalink this comment

1

disse...

Mais um acultura por aqui ne James...tmb nao conheço....qm manda ser da modernidade ne...
???

abraços

Penetralia

22 de setembro de 2009 08:59
Permalink this comment

1

disse...

J´adore!

James: devo lançar um livrinho junto com uns amigos em BH daqui a alguns meses, uma coletânea de contos, se tudo der certo. Eu te convido para uma cerveja no "lançamento" sem falta.

Abs do Lúcio Jr.

Penetralia

22 de setembro de 2009 09:00
Permalink this comment

1

disse...

E o Hemídio sumiu, hein? Acho que ele, um cara sensível, enlouqueceu em Sampa...

Paulo Braccini

22 de setembro de 2009 13:24
Permalink this comment

1

disse...

uma homenagem para vc e seu trabalho no meu blog ...

;-)

Luciano A.Santos

22 de setembro de 2009 16:52
Permalink this comment

1

disse...

James,

Maria Callas é única. Quando vejo uma pseudo-cantora dizendo que se inspira nela não posso deixar de pensar "em que sentido". Faz tempo que não a ouvia cantar, foi bom relembrar.

Grande abraço.

1

disse...

Mais um outro espaço teu que venho conferir e vivenciar, te sigo aqui também! gosto dos tons culturais e informativos que concebe por aqui, abraço!

Mauri Boffil

23 de setembro de 2009 10:47
Permalink this comment

1

disse...

Uau, que voz potente que ela tem!

Valdeir Almeida

23 de setembro de 2009 18:51
Permalink this comment

1

disse...

James,

Desculpe-me por eu não estar comentando sobre seu post. Minha vinda aqui é sobretudo para lhe agradecer por aderir à blogagem coletiva.

Tenho certeza que você, pelo fato de ser professor e por escrever muito bem, contribuirá muito com esta blogagem.

Muito obrigado.

Abraços.

Alexandre Lucas

23 de setembro de 2009 21:41
Permalink this comment

1

disse...

Lindo!

Graça Pires

24 de setembro de 2009 08:40
Permalink this comment

1

disse...

Maria Callas, uma voz inesquecível. Obrigada por este momento tão belo.
Beijos.